EM SESSÃO TUMULTUADA EDVAN BRANDÃO FOI ELEITO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE BACABAL

Comentários 0

Com início Oficial às 19h08, aconteceu na noite da última sexta-feira (3), a sessão presidida pelo vereador Irmão Leal, até então presidente interino do poder legislativo de Bacabal com o objetivo de eleger a nova mesa diretora da Câmara Municipal da cidade. A sessão feita no plenário Jocimar Alves de Sousa, como a anterior realizada no dia 1º de janeiro de 2017, foi marcada por discussões entre vereadores  e até empurrões, tudo pelo fato do presidente vereador Leal,  se abster de empossar o vereador João do Algodãozinho, sendo que o vereador  João Garcez, o Maninho, já havia sido empossado, contrariando assim decisão da justiça comum de Bacabal. Os vereadores aliados do senador João Alberto de Souza não concordaram com a atitude de Leal e resolveram sair do plenário, momento em que o então presidente deu por encerrada a sessão, por falta de quórum, o que gerou tumulto dentro e fora do local escolhido para a  sessão, que foi interrompida. Todo esse imbróglio durou aproximadamente 45 minutos.

UMA SESSÃO TUMULTUADA

Minutos depois e orientados por seus advogados os nove vereadores da ala do deputado estadual Roberto Costa, retornaram ao plenário e já sob o comando do vereador Serafim Reis, o mais idoso dentre os nove edis, reiniciaram os trabalhos que elegeu com nove votos para a presidência da câmara municipal de Bacabal, o vereador Edvan Brandão; vice-presidente o vereador Melquíades e secretários os vereadores Egídio Amaral e Natália Duda, sendo também empossado o vereador Joãozinho do Algodãozinho. Toda a sessão foi realizada na presença de advogados, representantes do judiciário e da imprensa.

MOMENTO EM QUE NÃO CONCORDANDO COM A DECISÃO DE IRMÃO LEAL A ALA DE EDVAN BRANDÃO SE RETIRA DO PLENÁRIO

Para os vereadores da ala de Edvan Brandão todo o problema criado por Irmão Leal, tinha o único objetivo de não efetivar Joãozinho do Algodãozinho como vereador, e assim partirem em igualdade de votos com a chapa adversária para o embate, ou seja: oito votos contra oito,  onde usariam como critério de desempate o quesito “vereador mais idoso”, o que daria a vitória ao presidente interino Irmão Leal.

Alguns vereadores usaram a tribuna, dentre os quais o vereador Coronel Egídio Amaral, que agradeceu a todos indistintamente, em especial a polícia militar do Estado do Maranhão na pessoa do seu comandante Geral, o coronel PM Pereira, que não mediu esforços para dar todo o apoio necessário para a realização da sessão, no quesito segurança, e disse também que os vereadores, jamais ficarão contra o povo bacabalense e que os projetos que forem em benefício da sociedade serão aprovados sem nenhum tipo de objeção.

EDVAN BRANDÃO FALANDO DA RELAÇÃO ENTRE EXECUTIVO E LEGISLATIVO

Em tom de desabafo, o vereador Manoel da Concordia enalteceu a postura dos seus colegas e aproveitou para lembrar um episódio em que o vereador Irmão Leal teria dito que em seu tempo as coisas eram feitas na palavra e no fio do bigode, se referindo aos possíveis mudanças de postura do vereador. Acrescentou ainda que Irmão Leal teria se oferecido para retornar ao grupo do vereador Edvan Brandão e foi rejeitado pelos companheiros de parlamento. No final da sua fala o vereador Manoel da Concórdia lembrou que o vereador Leal na realidade não usa bigode.

Já como presidente do parlamento bacabalense, Edvan Brandão, disse que a sua eleição foi pautada na legalidade e tem a plena certeza que será reconhecida como vitoriosa pelas autoridades competentes, descartando veementemente a realização de uma nova eleição. Com relação ao entendimento com o prefeito José Vieira Lins, disse que não criará nenhum obstáculo, pois o objetivo comum é a população do município, que sofreu até agora com este impasse.

EDVAN BRANDÃO FALANDO DA LEGALIDADE DA SUA ELEIÇÃO

QUEM É EDVAN BRANDÃO –  Bacabalense, Edvan Brandão de Farias, 44 anos, evangélico, é casado e reside no povoado Bela Vista, zona rural do município, onde nasceu.

Esse é o segundo mandato de Edvan Brandão como vereador. O primeiro foi em 2012, na época,  filiado ao Partido Progressista e obteve 899 votos.

Em 2016 foi reeleito com 1.272 votos, pela coligação ”Bacabal no Rumo Certo”

Deixe uma resposta