BRASIL: DISTORÇÕES SOBRE A INDEPENDÊNCIA

Comentários 0

Eu estava comandando uma blitz em Bacabal, quando abordei um jovem sem capacete, com a sua moto sem sinaleiras, sem rabeta e com a descarga alterada.

Expliquei que ele estava cometendo diversas infrações de trânsito além do fato de ser menor de idade e não estava autorizado a conduzir veículo automotor.

Ele me disse que era sete de setembro, dia da independência, e todos tinham a independência de fazer nesse dia tudo que era proibido nos outros dias.

Tentei explicar que sete de setembro é uma data cívica, que se comemora o dia em que foi estabelecida a independência do Brasil de Portugal, e que deve ser comemorado com honra, ordem e orgulho e respeito.

Infelizmente ele não entendeu.

Mas como poderia entender em poucos minutos um assunto que o Estado devia ensinar desde os primeiros anos de escola? Com noções (eu disse noções) sobre o trânsito e leis em geral.

A Matéria de OSPB (Organização Social e Política Brasileira) não mais existe nas escolas.

Nosso sistema educacional não é mais o mesmo, os professores não são mais os mesmos (por força do sistema).

E, sendo assim, nossos jovens não poderiam ser os mesmos de tempos passados.

Desse dia, a cidade estava uma verdadeira anarquia.

Grupos de motoqueiros organizados por empresários e políticos (pasmem!), percorriam as ruas de Bacabal promovendo um verdadeiro terror aos pedestres, perturbando o sossego das pessoas com suas descargas alternadas.

As sirenes das viaturas “cantavam” pedindo passagem para inibir a ação dos infratores.

As sirenes das ambulâncias eram ouvidas em toda a cidade atendendo as vítimas dos diversos acidentes de trânsito.

O resultado foi dezenas de veículos e condutores conduzidos.

E, até às 19h, segundo o que me relatou um socorrista com o semblante triste e cansado, já haviam atendido mais de duas dezenas de pessoas no pronto socorro da cidade.

 LAMENTÁVEL.

Capitão PM Benedito Saraiva Filho.

Deixe uma resposta