PALESTRA SOBRE RACISMO E CONSCIENCIA NEGRA EM BACABAL

Comentários 0

O evento que aconteceu na manhã desta segunda-feira, 19, foi marcado por apresentações culturais, palestras e debates sobre a temática. Estudantes, representantes de movimentos culturais, acadêmicos e professores, marcaram presença no encontro.

Um mural com fotos de algumas personalidades de Bacabal foi apresentado.

Liderados pelo instrutor de capoeira Onivaldo de Assis, crianças que participam do grupo de capoeira do bairro Vila da Paz “Catadores de direita”, fizeram a abertura com canções que retrataram a o período de escravidão e a influencia da capoeira nos momentos de luta e resistência.

O secretário de juventude Marcos Ferreira Silva explicou a importância de se discutir temas relacionados ao Racismo e Consciência Negra.  “Hoje é um dia de reflexão, um dia em que nós estamos colocando temas que são relevantes para nossa vivência em comunidade. Falar da luta contra o racismo creio que deve ser uma ação diária. Que possamos aproveitar esse momento para agregar conhecimentos e valores. A secretaria de Juventude em nome da Prefeitura Municipal de Bacabal agradece a presença de todos”.

A professora Cristina Miranda (CESB – UEMA), ministrou uma palestra conceituando o que é o Racismo e injúria racial. Ela esclareceu ao público presente sobre a importância de se conhecer bem a legislação para usufruir de suas garantias. O Racismo Institucional foi outra ênfase abordada pela palestrante. Essa modalidade de Racismo acontece quando instituições e/ou organizações fazem promoção de cargos baseados na cor, cultura, origem racial ou étnica.

Gleiciane Brandão (UFMA – Codó) demonstrou através de suas pesquisas, dados e informações que revelam a forma pejorativa como os negros foram tratados ao longo de anos pela teledramaturgia (Novelas). Ela também explicou que os livros didáticos do Brasil e Cabo Verde (locais de pesquisas) quando falam sobre os negros, costumeiramente os apresentam apenas como escravos.

No final, uma apresentação de maculelê (dança folclórica brasileira de origem afro-brasileira e indígena) foi realizada por alunos da Unidade de Ensino Fundamental Alice Mendes. O professor William Cutrim, fez uma explanação sobre a origem da dança.

O vereador Dedê da Trizidela enalteceu a iniciativa da SEJUV em promover a mesa redonda. Para ele ter conhecimento sobre o assunto, resulta em providências que podem ser tomadas em razão das garantias constitucionais.

Da: Assecom.

Fotos:  Melquisedeque Morais.

Deixe uma resposta