POLÍCIA INVESTIGA SE MORTE DE VEREADOR FOI MOTIVADA POR RECUSA EM PAGAR PROPINA A TRAFICANTES

Comentários 0

Portal dos Procurados do Disque Denúncia divulgou cartaz pedindo informações sobre a morte do político de Araruama (RJ).

O Portal dos Procurados do Disque Denúncia divulgou nesta segunda-feira (9) um cartaz pedindo informações sobre a morte do vereador Ciraldo Fernandes da Silva (DEM), de 57 anos, assassinado no domingo (8) em Araruama, na Região dos Lagos do Rio.

Segundo o Disque Denúncia, uma das linhas de investigação da Polícia Civil é que o vereador teria se recusado a pagar propina a traficantes. Ciraldo era dono de uma loja de material de construção.

O vereador foi executado com mais de sete disparos no bairro Fazendinha, em frente a um bar. De acordo com o Disque Denúncia, dois homens armados passaram em uma moto e efetuaram os disparos.

Quem tiver qualquer informação a respeito da identificação dos envolvidos pode entrar em contato pelos números (21) 98849-6099, 2253-1177, 0300-253-1177, pelo Facebook do Portal dos Procurados e aplicativo do Disque Denúncia.

Todas as informações sobre o caso serão encaminhadas para 118ª Delegacia de Polícia de Araruama, que está encarregada das investigações.

Segundo a Polícia Civil, foi instaurado inquérito para apurar as circunstâncias da morte e diligências estão em andamento. Ainda de acordo com a polícia, a investigação corre sob sigilo.

O político estava no quarto mandado como vereador da cidade e a Câmara de Vereadores divulgou uma nota sobre a morte.

“Com profundo pesar, a presidente da Câmara Municipal de Araruama, vereadora Penha Bernardes, comunica o falecimento do vereador Ciraldo Fernandes da Silva, decretando luto oficial de três dias no âmbito do Poder Legislativo araruamense”, diz parte da nota.

Outro político morto

 O ex-vereador Sérgio Cunha de Andrade, conhecido como Serginho da Lotada, foi morto a tiros na rodovia RJ-138 em maio deste ano.

O crime aconteceu no bairro da Fazendinha, mesmo local onde Ciraldo foi morto. (G1RJ).

Deixe uma resposta