PROPRIETÁRIO DA CASA EM QUE MORRERAM TRÊS CRIANÇAS ELETROCUTADAS JÁ SE ENCONTRA EM BACABAL. CHIQUINHO TAMBÉM É SUSPEITO DE PARTICIPAÇÃO EM DOIS ESTUPROS

Comentários 0

Já se encontra na cidade de Bacabal,  Francisco Alves da Silva “Chiquinho” que foi preso na cidade de Dom Eliseu no Pará, no último dia 19 de outubro, em cumprimento a Mandado de Prisão. Desde a prisão Francisco aguardava a sua transferência para a 16ª Delegacia de Polícia Civil de Bacabal. Chiquinho como é conhecido era o proprietário de uma casa na Vila Graciete, precisamente na Rua A, Casa 19, próximo ao bar do Meliá, onde três crianças que brincavam nos quintais de várias residências, no início da noite do dia 16 de março de 2016, tocaram em uma cerca que possuía corrente elétrica, sendo as mesmas eletrocutadas. Duas morreram no local e a terceira ainda foi levada ao Pronto Socorro Municipal, porém, não resistiu e veio também a óbito.

As vítimas foram Tiago Sousa Oliveira, 6 anos; David José da Silva, 8 anos, e José Armando Pereira da Silva, 11 anos. Todos residentes no Bairro em que ocorreu a tragédia. Na ocasião populares revoltados atearam fogo na residência de Francisco Carpinteiro.

Francisco Alves da Silva, “Chiquinho” foi recambiado por uma equipe de policiais civis da 16ª DRPC de Bacabal  composta pelos Investigadores Rocha, Fredson e Jobson.

A entrevista exclusiva foi concedida ao repórter e âncora Romário Alves, único repórter a acompanhar todo o processo de recambiamento de Chiquinho até Bacabal. Na entrevista, Chiquinho nega todas as acusações e diz não ter nenhuma participação na energização da cerca. Diz ainda que ao chegar à sua casa em uma moto no dia do fato, observou a aglomeração e desconfiou que algumas pessoas queriam detê-lo. Imediatamente deu meia volta e empreendeu fuga na motocicleta e na mesma noite viajou para cidade de São Luís-MA.

Perguntado porque não chegou a se apresentar, já que não teria nada com o acontecido e não demonstrando firmeza nas respostas, disse que pensou sim. Mas, a família não demonstrou interesse para que se apresentasse.

Chiquinho disse também que foi furtado várias vezes em sua casa e que na sua opinião, alguém teria armado tudo isso contra a sua pessoa. Que jamais energizaria a cerca da sua residência, uma vez que apenas dormia na casa. Que é uma pessoa do bem, honesta e trabalhadora.

Mas, as suspeitas sobre Francisco Alves da Silva, “Chiquinho” não param por aí, não se restringem apenas a este fato. Há informações a serem confirmadas do envolvimento do mesmo em um estupro na cidade de Imperatriz-MA. Já na cidade de Dom Eliseu onde residia há um ano, praticamente, a delegacia de polícia civil local, também apura a participação de Chiquinho em outro caso de estupro.

Mais detalhes com o âncora Romário Alves, programa Bandeira 2 (TV Difusora/Bacabal), segunda-feira, às 06h45. 

Deixe uma resposta