OPERAÇÃO CONJUNTA DAS POLÍCIAS MILITAR (3ªCIA/15º BPM) DA CIDADE DE VITORINO FREIRE E POLÍCIA CIVIL APRESENTAM PROFESSORA POR SUPOSTO ENVOLVIMENTO EM MORTE DE EMPRESÁRIA

Comentários 0

FRANCIANE: FOTO/DIVULGAÇÃO – REDES SOCIAIS

A professora Franciane Lima Rocha, de 33 anos, confessou à Polícia que participou do assassinato da empresária Maria Hilda da Silva Pereira, 52 anos, mais conhecida como Leuda Construções, em Vitorino Freire, que fica a 315 km de São Luís. A vítima teria desaparecido na última sexta-feira (27). Amigos e familiares começaram a divulgar a informação do sumiço da empresária em redes sociais, após a confecção do Boletim de Ocorrência.

MARIA HILDA (LEUDA CONSTRUÇÕES): FOTO/DIVULGAÇÃO – REDES SOCIAIS

Policiais Militares da 3ª Companhia do 15º BPM, que tem a frente o Capitão PM André Luís e que pessoalmente comandou as buscas, foram procurados por amigos e familiares logo nos primeiros minutos do dia 28 (sábado). As diligências por parte da polícia militar começaram imediatamente.

FOTO/DIVULGAÇÃO: REDES SOCIAIS

FOTO/DIVULGAÇÃO: REDES SOCIAIS

FOTO/DIVULGAÇÃO: REDES SOCIAIS

Após alguns levantamentos dos policiais, chegaram até a pessoa de Franciane Lima, na manhã de sábado (28). Após alguns esclarecimentos a mesmo caiu em várias contradições, sendo detida e levada a 16ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Bacabal, onde foi ouvida e liberada posteriormente.

Porém, os argumentos da professora não convenceram em nada os policiais envolvidos no caso que continuaram as investigações. Olhando cuidadosamente as câmeras de monitoramento das ruas de acesso a casa de Franciane, os policiais constataram várias contradições no depoimento da suspeita

Nas imagens por volta das 02h35 do dia 27, Franciane teria ido a casa de Maria Hilda (Leuda Construções).  Segundo Franciane, por preocupação, uma vez que esta  teria bebido bastante, que inclusive teriam bebido juntas e Maria Hilda  não estaria bem.

Em outra filmagem a vítima e empresária Maria Hilda, teria regressado a cada Franciane, e de lá não teria mais saído. Argumentada mais uma vez pelos policiais, Franciane, teria confessado o plano para um roubo na casa de Maria Hilda, mas, que não tinha obtido êxito, que teriam levado o celular da vítima e que esta desconfiava da mesma, por isso teria retornado a sua residência.

GONÇALO E ISMAEL (FORAGIDOS): FOTO/DIVULGAÇÃO – REDES SOCIAIS

Teria dito ainda Franciane aos policiais que Maria Hilda teria sido morta em sua casa por “asfixia” e que os autores teriam sido o seu namorado de nome Gonçalo de Sousa Silva e o primo deste de nome Ismael de Sousa.  Que Gonçalo teria, inclusive, comprado uma lona de plástico para enrolar e ocultar o corpo da empresária.

Também nas imagens captadas, Gonçalo é visto por volta das 16h56, do dia 27, saindo a casa de Franciane com um grande volume na garupa da sua moto. Gonçalo e Ismael estão foragidos e até o  momento o corpo da empresária ainda não foi localizado.

Franciane e Maria Hilda eram amigas e se visitavam com frequência, daí a suspeição do sumiço do celular por parte da vítima, uma vez que apenas Franciane e Gonçalo teria frequentado a sua residência.

Na residência da Franciane foram encontrados vários materiais de magia negra, segundo informações os mesmos eram adeptos. Em uma das fotos da para ver claramente os nomes de Gonçalo e Franciane em um trabalho de amarração.

Franciane recebeu voz de prisão e se encontra a disposição da justiça.

Mais detalhes com o âncora Romário Alves, programa Bandeira 2 (TV Difusora/Bacabal), de segunda a sexta-feira, às 06h45.

Deixe uma resposta