COMITÊ QUE MONITORA A PANDEMIA DECIDE PELA MANUTENÇÃO DO DECRETO QUE RESTRINGE EVENTOS EM BACABAL

Comentários 0

Assecom Bacabal, Louremar Fernandes – O Comitê de crise que monitora a pandemia de Covid-19 em Bacabal reuniu na tarde de quinta-feira, 25, e decidiu solicitar com urgência do Governo do Estado que aumente a oferta de leitos no hospital Laura Vasconcelos. Outra decisão foi a manutenção em vigor do Decreto que proíbe a concessão de licença para eventos festivos, além da intensificação da fiscalização desse decreto.

A decisão foi tomada em uma reunião por vídeo conferência, em que participaram o os Promotores de Justiça Thiago Candido Ribeiro e Sandra Soares Pontes, do Ministério Público Estadual;  Michael Jackson, gestor da Regional de Saúde de Bacabal; a médica Yvanna Lopes Carvalhal, do Comitê Municipal de Acompanhamento e Atenção das Ações de Prevenção de Combate à Covid-19; James Soares, secretário de Saúde de Bacabal; Amanda Sousa, Coordenadora do programa de imunização; Deputado estadual Roberto Costa; Bruna Lorena Paiva, Superintendente de Vigilância Sanitária; Jessica Raiane Sobreira, Superintentende de Vigilância em Saúde e a Procuradora-Geral do Município, advogada Anna Cibelle Albuquerque Braz.

As autoridades discutiram sobre o aumento no registro de casos de pessoas infectadas pelo coronavírus nos últimos dias em Bacabal. A conclusão é de que neste momento existe carência de leitos de internação e UTI  para pacientes da Covid-19. Foi proposto que seja acionado o secretário de estado da Saúde, Carlos Lula, para com ele abrir um canal de conversação a fim de que se encontre uma solução para o problema.

Estado montou hospital de campanha que funciona como ambulatório

O secretário Carlos Lula esteve em Bacabal nesta semana, dia 22, para dar início às atividades do hospital de campanha montado pelo Governo do Estado. A estrutura montada atrás do prédio da 5ª Ciretran não funciona como hospital, apenas como ambulatório.

Foi isso o que afirmou Michael Jackson, gestor da Regional de Saúde de Bacabal. Ele disse que o hospital não tem suporte para internação, porque “ele vem como ambulatório, onde o paciente é atendido, consultado e feita a medicação”. Michael Jackson disse que o hospital/ambulatório é uma extensão do hospital Laura Vasconcelos, tem capacidade para 23 leitos e que só funciona durante o dia. Quanto a exames, o hospital não dispõe de equipamento de raio-x e funciona como um posto de coleta de material para exames que são processados no laboratório do hospital Regional Laura Vasconcelos.

A Dra. Yvanna Carvalhal fez um contraponto sobre esse atendimento afirmando que a rede de Saúde do município de Bacabal já oferecia o mesmo atendimento ambulatorial. Ela afirmou que é preciso avançar e construir um atendimento que ofereça realmente leitos de internação e leitos de UTI.

Todos concordaram que a estrutura montada pelo Governo do Estado não oferece a resolutividade adequada para a demanda que o município de Bacabal apresenta. Funciona como uma porta de entrada para os pacientes com Covid-19 que dali são enviados para o hospital Laura Vasconcelos ou para o hospital Veloso Costa.

Decreto continua em vigor e fiscalização mais intensa

No município de Bacabal está em vigor o Decreto nº 704, de 1º de fevereiro de 2021. O Decreto foi elaborado com base na Recomendação da Procuradoria Geral de Justiça. A Recomendação REC-GPGJ – 12021, assinada pelo Procurador-Geral de Justiça Eduardo Jorge Hiluy Nicolau, diz que os Municípios, Policia Civil, Militar e Corpo de Bombeiros  “procedam à negativa de licenças e autorizações para festividades e demais eventos privados que possam ocasionar qualquer tipo de aglomeração durante o período carnavalesco, bem como enquanto perdurar a pandemia de COVID 19”.

Na reunião de ontem, a promotora Sandra Pontes reiterou essa recomendação e disse que é preciso intensificar a fiscalização do cumprimento do Decreto. O secretário de Saúde de Bacabal, James Soares, concordou sobre a necessidade de intensificação e se manifestou dando conta das ações da Vigilância Sanitária que tem visitado estabelecimentos comerciais e de diversão, para esclarecer e, se necessário, notificar os transgressores.

Deixe uma resposta