FLÁVIO DINO DIZ QUE NÃO HÁ CASOS DE TRANSMISSÃO LOCAL DA CEPA INDIANA NO MARANHÃO

Comentários 0

Nesta sexta-feira (21), governador também falou sobre a decisão de não fechar os portos do estado. Medidas restritivas seguem sem alteração.

G1 Maranhão – O governador do Maranhão, Flávio Dino (PcdoB), afirmou em entrevista coletiva nesta sexta-feira (21) que ainda não há sinal de transmissão local da cepa indiana no estado. Na manhã dessa quinta-feira (20), o secretário de estado da Saúde, Carlos Lula, confirmou o registro de seis casos positivos para a nova linhagem do coronavírus.

“Essa cepa está em vários países, inclusive vizinhos do Brasil. Tendo em vista o descontrole sanitário que nosso país vive há um ano e três meses, muito provavelmente a cepa chegará aqui, mas nesse caso do tripulante indiano, nós estamos tomando a providência que nos cabe”, disse o governador.  

Ainda durante a coletiva, Dino destacou o fechamento dos portos maranhenses. Segundo ele, se isso acontecesse, haveria um colapso econômico no estado.

“Me perguntaram sobre eu não ter fechado os três portos do Maranhão. Vamos imaginar que esse disparate não fosse possível. Nós teríamos falta de gasolina, de diesel, e teríamos um colapso econômico, gerando desempregos. Mas, mesmo que eu chegasse a essa conclusão errada, a competência para essa medida extrema seria, legalmente, da Anvisa”, ressaltou.

Flávio Dino ressaltou que a OMS diz que as vacinas que estão sendo aplicadas, são, até agora, eficazes contra todas as variantes da Covid-19. Os trabalhadores portuários começaram a ser vacinados no último dia 19

Dino ainda afirmou que jamais negaria atendimento médico aos tripulantes do navio cargueiro que está ancorada a 50 km da costa.

“Em primeiro lugar nenhum médico pode negar atendimento a uma pessoa. Em segundo lugar, as providências já estavam sendo tomadas pelas empresas privadas e, em terceiro lugar, mesmo que o governo do estado tivesse sido informado antes, jamais negaríamos atendimento médico a uma pessoa”, disse.

CPI do senado sobre cloroquina

Após ser citado na CPI da Covid-19 no Senado sobre orientações para o uso de cloroquina, Dino afirmou que nunca prescreveu medicamentos.

“Jamais prescrevi medicamentos. O que eu dizia nas primeiras entrevistas, em abril de 2020, era que o Governo do Maranhão estava garantindo todos os medicamentos que, na ocasião, os médicos consideravam eficázes. Inclusive, na época, cloroquina. Na época, com auxílio dos médicos que nos assessoram, já dizíamos em documento que ‘não recomendamos formalmente o uso de cloroquina/hidroxicloroquina”, disse.

Medidas Sanitárias contra Covid-19

Segundo o governador, o regime em voga vai até o dia 31 de maio. Com a realização de eventos até 100 pessoas até as 23h em todo o estado.

Ilha de São Luís

  • Comércio e indústria entre 9h e 21h;
  • Bar e restaurante: até 23h;
  • Supermercados: das 6h à 0h;
  • Supermercados, academias e salões de beleza: 50% da capacidade;

Todo o estado

  • Eventos com até 100 pessoas já permitidos
  • Administração pública: 50% da capacidade
  • Protocolos sanitários continuam obrigatórios
  • Igrejas: 50%

Deixe uma resposta