Uma moto vermelha, furtada no último dia 24 de novembro foi recuperada na tarde desta segunda-feira (9), por policiais militares do 15º BPM da cidade de Bacabal. Uma guarnição da PM foi abordada por uma pessoa do sexo masculino na Estrada da Bela Vista, onde esta informou aos policiais, que, coincidentemente, a moto que trafegava à frente da viatura seria de sua propriedade.

Imediatamente a guarnição fez a abordagem e constatou a veracidade dos fatos. A moto era pilotada por Marcial de Oliveira, residente na Terra do Sol que negou todas as acusações, mas, não soube precisar a origem do bem móvel.

Diante das evidências  Marcial e a motocicleta foram apresentados na 16ª DRPC para os trâmites que o caso requer.

Mais detalhes com o âncora Romário Alves, programa Bandeira 2 (TV Difusora/Bacabal), de segunda a sexta-feira, às 06h45. 

João Victor Félix Lima, 19 anos, residente no Bairro Santos Dumont, Bacabal-MA, foi apresentado por volta das 17 horas do domingo (8), na delegacia de polícia civil por perturbação do sossego. O conduzido estaria com uma caixa de som em alto volume, causando desassossego na vizinhança inteira, onde crianças e idosos não podiam repousar.

A equipe de Policiais Militares do 15º BPM foi até o local e constatou a veracidade dos fatos. O mesmo resistiu à detenção, sendo necessário a utilização de algemas. No momento o conduzido ainda tentou subornar os policiais lhes oferecendo dinheiro para que fosse liberado, momento em que foi dada voz de prisão ao mesmo.

Foi apresentado na 16ª DRPC, juntamente com o aparelho de som para os trâmites que o caso requer.

Mais detalhes com o âncora Romário Alves, programa Bandeira 2 (TV Difusora/Bacabal), de segunda a sexta-feira, às 06h45. 

Na noite do último sábado (7), nas proximidades do povoado Alto Alegre do Acelino, município de Bacabal, houve um acidente automobilístico envolvendo um veículo e uma motocicleta. Segundo informações os dois seguiam na mesma direção quando o carrou acolheu a motocicleta que seguia com duas pessoas.

Com o impacto o carro perdeu o equilíbrio e caiu ribanceira abaixo. Informações dão conta que no veículo também estariam duas pessoas.

Das quatro pessoas envolvidas no acidente, duas se feriram em maiores proporções e foram atendidas por equipes do Samu e do Corpo de Bombeiros de Bacabal, porém, nenhuma corre risco de morte.

Os nomes das vítimas não foram revelados para a imprensa.

O repórter e verdadeiro âncora da televisão bacabalense, Romário Alves, único presente trouxe todas as informações.

Mais detalhes com o âncora Romário Alves, programa Bandeira 2 (TV Difusora/Bacabal), de segunda a sexta-feira, às 06h45. 

A ocorrência foi registrada por volta de 1h30 da madrugada deste domingo (08). 

As informações averiguadas dão conta que  Pato Roco, como era conhecido o adolescente identificado como João Victor Vieira, que iria completar 17 anos, estaria em companhia da namorada, quando chegaram os dois suspeitos e um deles com arma em punho, efetuou os disparos, atingindo Pato Roco na altura do pescoço, em seguida, os suspeitos fugiram do local, fato ocorrido na Rua João Alberto (Rua do Bambu Bar), centro, na cidade de Bacabal.

A vítima foi socorrida por populares e encaminhada às pressas ao Hospital Regional Dra. Laura Vasconcelos, após a entrada, minutos depois, por conta dos graves ferimentos  não resistiu e veio a óbito.

Pato Roco tinha várias passagens pela delegacia de Polícia Civil, e já teria sido vítima de outras tentativas de homicídio.

O irmão.

Um irmão de Pato Roco, em companhia de outro jovem, interceptaram um dos suspeitos, identificado como Emerson, que segundo eles, teria envolvimento com o episódio, fato que está sendo averiguado pela polícia civil. Emerson foi atingido no antebraço. Ele foi socorrido e encaminhado ao Hospital. A Polícia Militar foi acionada, e após incursões bem sucedidas, localizaram e detiveram os suspeitos da tentativa de homicídio, sendo um irmão de Pato Roco, identificado como Jhonata e um menor de idade. Com os mesmos os policiais encontraram 01 (um) revólver, calibre .32 mm, de nº 340433, com quatro cápsulas deflagradas e duas intactas. Os dois ao serem perseguidos pela polícia teriam se desvencilhado da arma, jogando-a embaixo de um veículo.

Tragédia.

A cerca de (4) quatro meses, dois irmãos de Pato Roco foram atingidos à tiros dentro de casa, o alvo dos ataques seria o adolescente infrator, devido a rixas com outros rivais, Pato Roco não se encontrava na residência, uma das crianças acabou morrendo, e a outra ficando internada devido aos ferimentos.

Facções criminosas.

Tanto Pato Roco, como outros jovens que já foram apreendidos por inúmeras vezes, sempre falam em redes sociais que são membros de facções criminosas, duas delas, CV e PCC, os símbolos usados por esses jovens em fotos sempre são mostrando dois dedos (CV), ou três dedos (PCC). Rotineiramente, há trocas de insultos e até ameaças de mortes entre eles. (Por Vanilson Rabelo/Com edição).

Mais detalhes com o âncora Romário Alves, programa Bandeira 2 (TV Difusora/Bacabal), de segunda a sexta-feira, às 06h45. 

Samuel Serra da Silveira, grande homem, pessoa e empresário foi o dono do saudoso Café Bacabal (Gostoso como ele só) e pai do empresário do ramo das comunicações Hidaldo Neto (Diretor-proprietário da Rádio Mirante FM de Bacabal, 95,1).

O Blog do André Araújo, se solidariza com toda a família neste momento de dor e roga a Deus que dê o conforto merecido a todos.

Grupo de indígenas foi alvejado por disparos neste sábado (7) na BR-226, no município de Jenipapo dos Vieiras. De acordo com a Secretaria de Direitos Humanos, caso está sendo investigado.

Dois índios da etnia Guajajara morreram e outros dois ficaram feridos durante um atentado registrado neste sábado (7) na BR-226, entre as aldeias Boa Vista e El Betel, no município de Jenipapo dos Vieiras, localizado a 506 km de São Luís. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular e pela Fundação Nacional do Índio (Funai).

(Correção: ao ser publicada, esta reportagem informou que duas pessoas foram mortas e outras quatro pessoas tinham sido feridas, segundo informações da Secretaria de Direitos Humanos. Na verdade, duas pessoas foram mortas e outras duas pessoas foram feridas. O erro foi corrigido nesta reportagem às 16h55.)

FOTO: DIVULGAÇÃO/JOSOALDO DE OLIVEIRA

Morreram no ataque os indígenas Firmino Silvino Guajajara e Raimundo Bernice Guajajara. Os dois índios atingidos foram socorridos e levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município de Jenipapo dos Vieiras e estão sob proteção policial.

Ao G1, o secretário de Estado de Direitos Humanos em exercício, Jonata Galvão, informou que os nomes dos feridos não serão divulgados por questões de segurança. Equipes das polícias Militar, Civil e a Fundação Nacional do Índio (Funai) foram acionadas e estão no local.

Por meio de nota, a Polícia Federal disse que foi informada dos fatos e enviou uma equipe ao local para iniciar as investigações sobre o crime.

Em um vídeo que circula nas redes sociais, um indígena identificado como ‘Nelsi’ contou que foi surpreendido por um veículo de cor branca que disparou diversas vezes contra a motocicleta onde ele e o índio Firmino Guajajara estavam.

“Ele [o carro] passou devagarzinho perto de nós ali e quando chegou perto de nós ele atirou, deu dois tiros. E ele ainda atirou nele ali [Firmino Guajajara]”, diz o índio.

Índios protestam

Em protesto, os índios Guajajaras fizeram um bloqueio na BR-226 em Jenipapo dos Vieiras. De acordo com passageiros de um ônibus que trafegava pela região, os índios teriam jogado pedras nas janelas dos ônibus.

Com medo de novos ataques, muitos motoristas estão parando no BR-226 e traçando novas rotas para conseguir chegar aos seus destinos. De acordo com a Polícia Militar, a situação no local é tensa e policiais estão na região para tentar conter a manifestação.

Lideranças reagem

Por meio de uma rede social, a líder indígena Sônia Guajajara se manifestou sobre o atentado contra os índios no Maranhão e pediu providências para o caso.

“Até quando isso vai acontecer? Quem será o próximo? É preciso que as autoridades tenham uma olhar específico para os povos indígenas, vida estão sendo tiradas em nome do ódio e preconceito! Nenhuma gota mais de sangue indígena!”, disse. (G1MA).

De acordo com o registro da PM, ao ligar o carregador do celular a tomada, o menino recebeu a descarga elétrica e teve uma parada cardíaca.

Um garoto, de 13 anos, morreu após receber um choque elétrico ao colocar um telefone celular para carregar em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais. O fato aconteceu na noite da última sexta-feira, 06, no Bairro Santa Rita 2, próximo ao Décimo Batalhão da Polícia Militar (BPM).

A vítima chegou a ser socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de de Urgência e Emergência (Samu), que tentou reanimá-la. Mas o garoto não resistiu e morreu no local. De acordo com moradores, o menino teria colocado o celular com o recarregador ligado à tomada, ao mesmo tempo com o fone no ouvido. Nesse momento teria sofrido o choque elétrico. Essa informação não consta no boletim de ocorrência da Polícia Militar. 

De acordo com o registro da PM, ao ligar o carregador do celular a tomada, o menino recebeu a descarga elétrica e teve uma parada cardíaca. O Samu foi chamado. Quando a ambulância chegou ao local, o pai da criança saiu à porta da casa com o filho nos braços.

Os socorristas tentaram reanimar o menino, que não resistiu. A perícia esteve no local e recolheu o aparelho celular e o carregador. 

Mortes no Brasil

Ao menos 23 mortes foram registradas no Brasil em acidentes com celulares. Os números são da Associação Brasileira de Conscientização dos Perigos de Eletricidade (Abracopel).

Veja o que evitar na hora de carregar o celular

– Usar o aparelho ligado à tomada: principalmente em caso de tempestades com descarga elétrica, o usuário pode levar um choque, assim como quando sai do banheiro ou da piscina descalço e/ou com o corpo molhado. O mesmo vale para o carregador portátil (power bank). O uso do celular conectado à tomada pode gerar um superaquecimento e até explodir a bateria. Se precisar usar, desconecte o aparelho. Também evite as extensões.

– Carregar o celular em lugares com água ou objetos inflamáveis: não se pode deixar o celular carregando sobre superfícies em contato com a água, como banheiros e cozinhas, e propícios a incêndios, como as camas, banco do carro, perto de cortinas, objetos de madeira ou outros que propaguem fogo. Escolha superfícies lisas e em locais arejados.

– Usar acessórios piratas: os produtos não costumam ter itens fundamentais para a segurança de quem usa e não têm controle de qualidade. Falhas internas podem gerar curto circuito e o barato acaba saindo caro.

– Carregar o celular com a capinha: a capa dos aparelhos acaba fazendo o papel de um cobertor, impedindo a troca de temperatura do aparelho com o ambiente, resultando em superaquecimento, que pode causar incêndio ou explosão.

– Usar celular muito aquecido: alguns aparelhos costumam esquentar durante o uso, mesmo sem estar conectados a um carregador. Nesse caso, a pessoa pode usar um app que suspende ações em segundo plano. Se não resolver, desligue o aparelho, tire a capinha ou até retire a bateria se possível. Quando a temperatura normalizar, volte a usar. (O Imparcial).

1 2 3 4 357