A cidade de Satubinha mais uma voltou às páginas policiais com outro crime bárbaro, por volta das 18:40 deste domingo (20), o Sr. Antônio do Depósito, proprietário do Posto Cantanhede foi executado a tiros em seu estabelecimento, a vítima era sogro do empresário Franciano dono do Posto FS de Olho D’Água das Cunhãs. O autor dos disparos foi o produtor de eventos Netinho do Barril Show, o crime foi motivado por uma discussão sobre som.

Após praticar o homicídio ele fugiu sentido BR 316 e foi interceptado pela polícia militar em Bacabal, Netinho não obedeceu a ordem de parada, a guarnição teve que efetuar disparos atingido o pneu do carro do produtor de eventos, ele e ainda se desfez da arma jogando no mato um revólver calibre 32.O vídeo do circuito interno do estabelecimento esclarece que a vítima não puxou nem uma arma de fogo.

No vídeo que circula nas redes sociais é possível observar  que o Senhor Antônio estava atendendo quando Netinho chegou, agrediu e tirou satisfação, os dois iniciaram uma discussão e rapidamente o proprietário do Barril Show sacou da cintura o revólver e efetuou disparos, a vítima não resistiu e morreu no local. Após ser preso, ele disse estar arrependido e alegou legítima defesa. Netinho foi algemado e levado para a 16ª delegacia regional de Bacabal e está à disposição da justiça. (Informações Antonio Filho).

Uma mulher foi assassinada com golpes de faca nesta quinta-feira (17). O crime aconteceu dentro de uma casa no Loteamento Água Boa, na região norte de Palmas, durante a tarde. O caso é investigado como feminicídio.

A vítima é Juraci dos Prazeres Souza, 46 anos. Segundo a Polícia Militar (PM) um irmão da vítima estranhou o sumiço da irmã e ligou para um vizinho por volta das 12h ver se estava tudo bem na casa dela.

O vizinho pulou o muro e viu Juraci com várias perfurações pelo corpo. Imediatamente ele chamou a PM pelo 190. Assim que a equipe chegou, juntamente com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), encontrou a mulher na cama e constatou a morte. (G1TO).

Por Neto Ferreira – O Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE/MA), na Sessão Plenária, emitiu parecer prévio pela desaprovação das contas do prefeito de Carutapera, Airton Marques, referente ao exercício financeiros de 2021.

A reprovação ocorreu em julho desse ano, mas somente nesta segunda-feira (21) o TCE disponibilizou publicamente no Diário Oficial.

Segundo a decisão, foi identificado gastos com pessoal que excederem o limite legal de 54%, atingindo o percentual de 55,38% infrigindo o art. 169, da Constituição Federal; art. 20, III, “b” da Lei Complementar n.º 101/2000/ seção 4, item 4.4, Quadro 6, do Relatório de Instrução n.º 4340/2022; seção 2, item 2.1, do Relatório de Instrução Conclusivo n.º 1319/2023.

A Corte de Contas determinou ainda o envio à Câmara de Vereadores de Carutapera, após o trânsito em julgado, as contas de governo do gestor, acompanhadas do Parecer Prévio.

De acordo com os autos, a sentença também foi encaminhada à Procuradoria-geral de Justiça (PGJ), para que possa fundamentar um eventual ajuizamento de Ação na Justiça estadual.

É assustador a quantidades de pessoas que morrem nas estradas do Maranhão, nas rodovias federais que cortam o solo maranhense.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), morreram 336 pessoas entre janeiro de 2022 até agosto de 2023.

Essas mortes foram resultantes de 750 acidentes graves nas BRs 010, 135, 222, 226, 230, 316 e 402, todas no Maranhão.

Em 2022 foram 463 acidentes graves, que resultaram em 210 mortes. E em 2023, de janeiro a agosto, já foram registrados 288 acidentes graves e com 126 mortes.

Apenas em julho de 2023, mês das férias, 27 pessoas morreram vítimas de acidentes nas sete rodovias federais do Maranhão.

O gráfico da PRF revela números assustadores: 

Br-135: de janeiro 2022 a agosto 2023: total de 89 mortes

Br- 316: de janeiro de 2022 a agosto de 2023: total de 74 mortes

Br-222: de janeiro de 2022 a agosto de 2023: total de 52 mortes

Br-010: de janeiro de 2022 a agosto de 2023: total de 47 mortes

Br-226: de janeiro de 2022 a agosto de 2023: total de 44 mortes

Br-230: de janeiro de 2022 a agosto de 2023: total de 32 mortes

Br-402: de janeiro de 2022 a agosto de 2023: total de 10 mortes

Por Wanderson Ricardo – Na noite de ontem, quarta-feira, 16, foi realizada a abertura da 16ª edição da Agrofeira de Bacabal, o evento agropecuário mais esperado da região do Médio Mearim. O Recinto de Leilões, localizado na Avenida João Alberto, está sendo o palco deste grande evento que acontecerá até o dia 20 de agosto.

A Agrofeira de Bacabal representa um ponto de convergência para pecuaristas, criadores de animais e entusiastas do setor agropecuário. Com mais de 50 empresas participantes, apresentando estandes que exibem suas soluções, o evento proporciona uma vitrine ampla para a comercialização e exibição de uma diversidade de animais de diferentes raças. Além disso, a Agrofeira oferece oportunidades de negócios, incluindo a venda de tratores, veículos e equipamentos especializados.

A programação diversificada do evento inclui shows musicais, cursos, oficinas e palestras ministradas por especialistas no campo agropecuário. O Presidente da Câmara, Melquiades Neto, comentou: “A Agrofeira de Bacabal já é tradição e por isso é um sucesso, pois reúne pessoas de Bacabal e da região. É bom quando nossa cidade é movimentada no setor do agro, no setor econômico, e isso mostra nosso potencial e como a cidade tem projeções de crescimento”.

Já o prefeito Edvan Brandão afirmou: “Nós nos reunimos novamente para prestigiar a Agrofeira de Bacabal, este evento tão importante para nossa cidade. Quero parabenizar o Ramon, presidente do Sindicato Rural, e todas as empresas participantes. Estamos juntos, dando total apoio em parceria também com o governo do estado”.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:

O Sargento PM Brito, comandante do Destacamento Policial Militar na cidade de Conceição do Lago Açu, tem conquistado cada vez mais a admiração dos moradores locais. Sua atuação não se limita apenas à esfera operacional, mas se estende também ao âmbito social. Recentemente, o Sargento PM Brito, com o valioso apoio do prefeito Lavepel, realizou uma doação de materiais esportivos essenciais, como uniformes, bolas e coletes, para os garis do município.

Essa ação demonstra sua preocupação genuína com os membros mais humildes da comunidade. Os garis, que desempenham suas funções enfrentando as intempéries do clima, não tinham meios para adquirir tais equipamentos, considerando que isso poderia comprometer suas rendas familiares. A entrega dos materiais ocorreu na praça da Família, proporcionando aos garis a oportunidade não apenas de receber os equipamentos, mas também de desfrutar de um momento de descontração ao praticar esportes. A alegria estampada em seus rostos refletia a importância dessa iniciativa.

Desde sua chegada ao município, o Sargento PM Brito tem se destacado por reduzir significativamente os índices de criminalidade, especialmente no que diz respeito ao tráfico e uso de drogas, bem como crimes contra a vida. Além de suas responsabilidades policiais, ele também atua como instrutor do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência), um compromisso que desempenha com entusiasmo. No entanto, suas contribuições vão além. Ele sempre se envolve em campanhas sociais, auxiliando na aquisição de medicamentos para os necessitados, fornecendo apoio para exames médicos e até mesmo coordenando a distribuição de cadeiras de rodas.

O Sargento PM Brito é verdadeiramente uma figura respeitada na cidade, gozando de grande carinho por parte dos habitantes locais. Sua presença é sempre bem-recebida onde quer que vá, refletindo o impacto positivo que tem causado na comunidade. Seu serviço exemplar e dedicado ao município é digno de profunda admiração e reconhecimento por parte de todos os cidadãos laguaçuenses.

Quantidade de denúncias de janeiro a julho já é quase igual a de 2022 inteiro; números de assédio sexual mais que dobraram no período.

Em 2023, o Ministério Público do Trabalho viu crescer vertiginosamente as denúncias de assédio moral e sexual no Brasil. A entidade recebeu, de janeiro a julho, 8.458 denúncias em todo o país. O número representa quase a mesma quantidade do total de denúncias do ano passado inteiro, de 8.508 denúncias. A maior parte das denúncias é de assédio moral, mas os números de assédio sexual preocupam ainda mais.

Os registros apenas de assédio sexual mais que dobraram: de janeiro a julho deste ano, foram 831. Neste mesmo período do ano passado foram 393 denúncias.

O número de novas ações de assédio moral e sexual no país, de acordo com o Tribunal Superior do Trabalho, também aumentou este ano. Até agora já são mais de 26 mil novos processos nos tribunais brasileiros. No mesmo período do ano passado foram pouco mais de 20 mil.

Uma mulher foi vítima de um assediador enquanto era estagiária de uma instituição pública. Por medo, ela preferiu não se identificar.

“Eu era estagiária num órgão público federal, e eu precisava de uma ajuda para o meu trabalho de conclusão de curso e eu fui conversar com um profissional que estava lá e que podia me ajudar com isso. De primeira ele topou, falou que me ajudava, que me orientava. E quando a gente marcou para realmente ele me ajudar, ele se sentiu no direito de passar a mão em mim”, relatou.

Ela denunciou o homem aos superiores, mas a instituição não tomou nenhuma medida.

“Depois de alguns meses eu falei com o RH e eles falaram que estavam cientes do comportamento dessa pessoa, que ele já tinha feito isso com outras moças, mas que ninguém tinha provas. Não tinha acontecido diretamente no ambiente de trabalho, então não tinha o que eles pudessem fazer”, explicou.

O assédio sexual se tornou crime há mais de 20 anos. Em abril deste ano, uma lei federal instituiu o programa de prevenção e enfrentamento ao assédio sexual na administração pública.

“As empresas são obrigadas e ter canais de combate e prevenção ao assédio. Além disso, elas são obrigadas a fazer palestras, pelo menos uma vez por ano e ter um canal de denúncia anônima onde a pessoa pode ir lá e denunciar o ocorrido”, explicou Jonas Figueiredo, advogado especializado em direito do trabalho.

O Tribunal Superior do Trabalho registra, por dia, uma média de 220 novos processos de assédio moral e sexual. Os especialistas apontam que a criação de novas leis, que protegem a vítima, deram mais coragem para quem quer denunciar.

“É fundamental que trabalhadores e trabalhadoras tenham a consciência de que têm o direito à proteção contra atos de violência no ambiente de trabalho, e o assédio é uma violência. Muitas vezes, condutas que eram banalizadas e que se deixavam passar como imperceptíveis, como o chefe ou o entregador se dirigir a todo o grupo de colegas e ignorar determinado empregado, ou a exigência de metas impossíveis de cumprir ou mesmo a pressão psicológica, o terror psicológico ou até exigências de favores sexuais em troca de uma condição mais favorável do trabalho, nenhuma dessas condutas podem ser toleradas”, disse Lelio Bentes Corrêa, ministro presidente do Tribunal Superior do Trabalho.

LEIA MAIS: 

No mesmo projeto, há ainda a proibição de músicas com letras que façam apologia ao uso de drogas. Resta agora a sanção do governador Carlos Brandão.

A Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou um projeto de lei que proíbe a reprodução de músicas “com letras que façam apologia ao crime, ao uso de drogas e/ou que expressem conteúdos sexuais” em escolas públicas ou privadas no Maranhão.

De autoria do deputado Arnaldo Melo (PP), o Projeto de Lei 066/2023 agora irá para sanção do governador Carlos Brandão (PSB), que pode vetar ou aprovar a Lei.

Regulamentação

No detalhamento do Projeto de Lei, é previsto que serão proibidas a execuções de músicas nas escolas e também em eventos promovidos pelas instituições de ensino que “exaltem ou façam apologia ao crime, a facções criminosas e/ou ao tráfico de entorpecentes, ao uso de drogas, bem como àquelas que transmitam ideias de conteúdo pornográfico, linguagem obscena e expressões vulgares que aludam a prática de relação sexual ou de ato libidinoso”,

A responsabilidade para fiscalizar o possível descumprimento da lei será diretamente do diretor e/ou gestor da escola, mas o cidadão poderá também denunciar aos órgãos de segurança.

Já em relação ao órgão responsável pelo cumprimento da lei, o projeto não apontou se seria com a Secretaria de Educação ou de Segurança Pública. Apenas deixou a regulamentação a cargo do governo estadual. (G1MA).

1 2 3 4 5 519