A REVOLUÇÃO NO CRÉDITO E FINANCIAMENTO A EMPRESAS NO BRASIL

Uma verdadeira revolução ao financiamento das empresas brasileiras está em gestação pelas mudanças que vêm ocorrendo desde 2018 e alterando fortemente os mercados de crédito e de capitais no Brasil. Essas novas condições podem ter efeito igual ou maior que a da reforma da previdência, favorecendo igualmente a retomada do crescimento.

A grande ebulição que favorecerá o reaquecimento da economia e de investimentos, possibilitando às empresas a ampliação do acesso a recursos financeiros, diminuição dos custos de capital, aumento das possibilidades de crédito e elasticidade da oferta, será fundamental para a utilização da grande capacidade de produção ociosa existente atualmente em virtude dos seis longos anos de recessão que vivemos no Brasil desde 2014.

As mudanças citadas aqui vão trazer aumento de produtividade e de eficiência na alocação de recursos no mercado e devem vir com redução do crédito direcionado e expressivo aumento da participação do mercado de capitais. As novidades irão garantir menos riscos nas operações de crédito, possibilitando aumento de oferta de ao consumidor, premissa básica para o ciclo de aquecimento da economia.

Os elementos principais desse novo cenário são as inovações regulatórias da agenda BC+, a nova política de crédito do BNDES e as atuais taxas de juros.

As taxas de juros baixas ajudam a reaquecer o consumo e a puxar o PIB para cima, a expectativa é a manutenção das taxas assim por um longo período, favorecendo maior oferta de crédito barato às pessoas e às empresas. A nova disposição em priorizar financiamentos de projetos de infraestrutura, inovação e focar em pequenas e médias empresas, com preferencia para mercado de capitais que poderá fazer uso dos recursos do BNDES para complementar e ampliar crédito em startups são dois pontos importantes que casam perfeitamente com as inovações regulatórias que o Banco Central trabalhou nos últimos meses.

O Sistema Financeiro Nacional, SFN, passa por uma avalanche de inovações tecnológicas que visam baratear o crédito, aumentar a eficiência do sistema e promover a cidadania financeira, esse movimento já atingiu outros segmentos econômicos, transformando alguns de forma significativa, chegando agora ao centro financeiro.

De olho nisso, o Banco Central, através da agenda BC+, desde 2018 já permitiu o surgimento de mais 300 “fintechs”, também desde 2018 criou o registro de diretos creditórios com empresa credenciada no Banco Central e a duplicata eletrônica que entra em vigor no próximo dia 21 deste mês e irá permitir ganho de segurança e a redução de custos operacionais na gestão das duplicatas, aumento de acesso ao crédito e taxas de juros mais baixas para o produtor e o comerciante.

O cadastro positivo, aprovado em 8 de abril deve funcionar em outubro com previsão de chegar a 120 milhões de cadastros e vai contribuir para a diminuição de riscos nas operações de credito, importante ainda o anuncio recente do “open Banking” que deve atuar a partir de 2020.

Resumindo, com as informações do cadastro positivo, que antes pertencia apenas aos grandes bancos, bancos de médio porte, “fintechs” e FIDCS poderão usar esses dados para gerar avaliações de riscos mais eficientes. O uso de duplicatas eletrônicas registradas por empresas cadastradas no Banco Central, propiciará redução de custos, de riscos operacionais e fraudes podendo ser usadas como garantia de empréstimos ou lastro de operações de crédito diversas.

Essas novidades vão melhorar a gestão de risco de crédito em favor dos bons pagadores, possibilitar a ampliação de instrumentos financeiros, redução do custo de aquisição do crédito e amentar a concorrência no mercado de crédito, melhorando o fluxo de conformidade e acelerando as operações.

A oferta de crédito deve ser aumentada especialmente no financiamento do capital de giro com a garantia de recebíveis (FIDCS) e forte oferta de fundos privados, beneficiando as pequenas e médias empresas, mediante uso das duplicatas eletrônicas, agora com poder de instrumento financeiro com o funcionamento da centralização de registro das mesmas junto a empresas credenciadas pelo Banco Central.

O Departamento de regulação do SFN do Banco Central do Brasil calcula a injeção de R$ 1 trilhão na economia, acima dos atuais R$ 700 bilhões projetados para a reforma da previdência. A Associação Nacional dos Bureaus de Crédito aponta aumento de R$ 790 bilhões de crédito a empresas nos próximos anos, mais de 50% que o atual saldo em oferta no mercado, R$ 550 bilhões desses seriam para MPMEs.  A Serasa Experian divulgou recente estudo prevendo aumento do saldo de crédito no Brasil, passaríamos de 47% para 67% do PIB disponíveis, também apontando a pequena e média empresa como destinatária.

Com todas essas perspectivas, a economia brasileira caminha para fortalecer o Sistema Financeiro Nacional, principalmente em momentos de crise, melhorando a funcionalidade dos instrumentos disponíveis e alocando a poupança para contribuir com o crescimento econômico, diminuindo os impactos da crise sobre o fluxo financeiro e financiamento das empresas, consequentemente sobre o emprego e a capacidade de produção.

E você, já preparou sua empresa para as mudanças apontadas levemente no texto acima?

Simplício Araújo é Secretário de Industria, Comércio e Energia do Estado do Maranhão e escreve todas as quartas-feiras no Jornal Pequeno.

Com o objetivo de aproximar cada vez mais a polícia militar da sociedade, exercendo de fato a “Polícia Cidadã”, o comandante do 15º BPM de Bacabal, o major PM Duarte, em companhia do subcomandante do BPM, major PM Kraieski e do sargento PM Brito, estiveram na noite da última terça-feira (14), no povoado Brejinho, onde participaram de uma reunião com moradores do povoado. A reunião aconteceu no pátio da igreja católica e contou com a participação do moradores locais.

O objetivo principal da reunião foi discutir a segurança pública no povoado. O comando do Batalhão ouviu dos moradores que o povoado apresenta um grande número de usuários de drogas. Que nos finais de semana, devido a boa quantidade de bares, surgem confusões. Alguns brincantes mais eufóricos   usam som automotivo, o que incomoda bastante os moradores, especialmente os mais idosos e crianças.

“O comando do 15º Batalhão da Polícia Militar intensificará as rondas na localidade, em especial nos finais de semana, onde serão feitas abordagens pessoas e veículos, cobrança de alvarás de funcionamento dos bares, e ainda o disciplinamento do horário de começo e término das festividades realizadas no povoado” disse o Major PM Duarte.

Segundo o órgão ministerial, entre os envolvidos está o atual prefeito de Açailândia Juscelino Silva (PCdoB) e a ex-prefeita Gleide Santos.

O Ministério Público do Maranhão (MP-MA) ajuizou três Ações Civis Públicas (ACP) devido a um prejuízo ao erário do Município de Açailândia, a 562 km de São Luís, no valor de R$ 21 milhões, causado pela falta de transferência das contribuições descontadas de servidores ao Instituto de Previdência Social dos Servidores do Município de Açailândia (IPSEMA). Um dos acionados pelo MP é atual prefeito da cidade, Juscelino Silva (PCdoB), que está sendo alvo de improbidade administrativa.

Segundo o órgão ministerial, as três ACPs foram formuladas pela titular da 2ª Promotoria de Justiça de Açailândia, Glauce Lima Malheiros. De acordo com a representante do Ministério Público, além de acionar o prefeito do Município, também foram acionados a ex-prefeita, Gleide Santos (2013-2015) e a presidente do IPSEMA, Josane Araújo. Os três acionados são envolvidos nas irregularidades, ocorridas no período de janeiro de 2013 a dezembro 2017.

SEDE DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO MARANHÃO EM AÇAILÂNDIA — FOTO: DIVULGAÇÃO/MINISTÉRIO PÚBLICO DO MARANHÃO

De acordo com a promotora, as ilegalidades incluem a falta de repasse ao instituto de contribuições descontadas, no valor de R$ 21.157.711,22, a inadimplência com parcelamento de débitos, totalizando R$ 800.549,34 e o excesso de despesas administrativas no valor de R$ 1,9 milhão.

Uma auditoria realizada pelo MP demonstrou que, antes de 2013, já havia débitos com a Unidade Gestora do Regime no valor de R$ 7.845.424,85 e o fato levou o prefeito, a ex-prefeita e a presidente do instituto a serem acionados judicialmente.

Desde 2013 à frente da gestão do IPSEMA, a própria Josane Araújo confirmou que, além da inadimplência dos débitos, têm sido feitos reparcelamento dos valores.

Diante das irregularidades, o Ministério Público pede a indisponibilidade de bens do caso do prefeito e da ex-prefeita até o valor dos danos aos cofres públicos. No que se refere à presidente do IPSEMA, o valor é R$ 1.534.841,12.

A Promotoria de Justiça também pede a condenação do prefeito e da presidente do instituto ao afastamento dos cargos públicos, sem remuneração.

Na ação, o MP pede a condenação dos acionados por improbidade administrativa, o que implica em punições como perda da função pública, ressarcimento integral do dano, suspensão dos direitos políticos pelo prazo de cinco a oito anos e pagamento de multa civil até o dobro do dano.

Entre as penalidades estão a proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos.

Além disso, o órgão ministerial ainda requer que o Município encaminhe a lista dos valores descontados em folha de pagamento dos servidores vinculados ao instituto e valor devido ao IPSEMA e o consequente bloqueio destes valores. Também solicita a condenação do IPSEMA à cobrança judicial em, no máximo 60 dias, de toda a dívida atualizada do Município com o instituto.

Por fim, o Ministério Público pede que a ex-prefeita Gleide Santos seja condenada pelo crime de apropriação indébita, que implica em reclusão, de um a quatro anos, e mais pagamento de multa.

O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Açailândia e aguarda um posicionamento do órgão sobre o assunto. (G1MA).

Caso aconteceu na Rua Idalina Ferreira e policiais dizem que Silbane Conrado e Paula Andreia foram mortos com aproximadamente 20 disparos de arma de fogo.

A Polícia Civil investiga o assassinato de um casal na cidade de Chapadinha, distante 245 km de São Luís. Silbane Conrado da Silva e Paula Andreia Silva Gomes foram mortos a tiros por homens que estavam em uma motocicleta, de acordo com as primeiras informações policiais.

O caso é conduzido pelo delegado Fábio Henrique Aragão, do 1º DP de Chapadinha. O crime aconteceu nessa quarta-feira (15) na Rua Idalina Ferreira.

Segundo o início da investigação, o casal Silbane e Paula foi morto com aproximadamente 20 disparos de arma de fogo. Na casa das vítimas, os policiais disseram que apreenderam pouco mais de 100 gramas de entorpecentes entre cocaína e crack. A motivação do crime ainda não foi determinada. (G1MA).

O secretário de Obras e Urbanismo de Bacabal, parabeniza a todos os encarregados de recolher os resíduos, limpar e varrer todas as ruas, praças e parques das cidades, o Gari.

A definição de uma data para lembrá-lo, como acontece no dia de hoje (16), foi um importante marco para se refletir sobre o apreço e a admiração que a profissão merece. Esses incríveis profissionais, responsáveis pela manutenção da higiene do nosso dia a dia, merecem todo o respeito, pois é através do seu trabalho, numa atividade diária e repetitiva, mas nunca monótona, que podemos nos orgulhar de ter uma cidade sempre limpa.

16 de Maio dia do gari.

Homenagem do secretário municipal de Obras e Urbanismo de Bacabal, Carlos Jorge.

CORPO DE MULHER É ENCONTRADO NA UFMA EM SÃO LUÍS — FOTO: DOMINGOS RIBEIRO/MIRANTE AM

Vítima ainda não identificada foi encontrada na manhã desta segunda-feira (13) por uma funcionária da instituição que trabalha na área da limpeza.

O corpo de uma mulher foi encontrada na manhã desta segunda-feira (13) no campus da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís.

Segundo a polícia o corpo da mulher, que ainda não foi identificado, estava atrás do prédio da TV UFMA. A vítima, que é negra, estava com o vestido rasgado e foi encontrado por uma funcionária da instituição que trabalha na área da limpeza.

O delegado Arthur Benazzi, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), que investiga o caso, revelou que foram encontradas marcas de agressão nos olhos e na boca da mulher. Além disso, ele contou que há a possibilidade de ela ter sido esganada até a morte.

“As marcas são no rosto, são na boca. Ela foi bastante agredida na boca, no olho, mas há indícios que ela possa ter sido esganada, o que teria sido a causa da morte. Mas isso só exame médico legal que vai confirmar. Há, aparentemente, lesões que indicam isso”, disse o delegado.

O delegado também contou que nenhum documento de identificação foi encontrado com a vítima e que o próximo passo nas investigações é aguardar a presença de familiares que possam colaborar com informações.

“Ainda não conseguimos nenhum documento e nem aparelho celular. A gente vai ter que aguardar a chegada de familiares na delegacia para coletar mais indícios do fato ocorrido, como com quem a vítima saiu, se esteve em alguma festa na noite de ontem”, disse o delegado.

Delegado quer analisar imagens de câmera de segurança

Arthur Benazzi disse, ainda, que imagens de câmeras de monitoramento de dentro do campus da UFMA serão usadas durante as investigações a fim de colaborar com a elucidação do crime.

“Nós estamos nos dirigindo para a Prefeitura do Campus para o recolhimento dessas imagens para ajudar nas investigações e nós vamos trabalhar com as imagens que obtivermos”, finalizou.

Uma viatura do Instituto de Criminalística (Icrim) foi levado para o local onde o corpo foi encontrado para removê-lo ao Instituto Médico Legal (IML). (G1MA).

Na manhã da última sexta-feira (10), a Guarnição da Força Tática de Pedreiras, após receber informações via rádio que duas senhoras estariam tentando sacar um empréstimo na Agência da Caixa Econômica Federal, utilizando documentação falsa, foi até à agência e prendeu as duas suspeitas, que foram conduzidas ao 19° BPM. Durante a confecção do Boletim Informativo da PM, foi feito uma busca na bolsa da senhora Maria Ivonete, onde foi encontrado 01 (uma) cédula de RG em branco, vários cartões em nome de terceiros e várias cédulas de identidades falsas.

MARIA CONCEIÇÃO SABINO E IVONETE PEREIRA DOS SANTOS/FOTOS: 19º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR DE PEDREIRAS – MA

Materiais Apreendidos: R$ 246,30 (duzentos e quarenta e seis reis e trinta centavos); 02 agendas; 02 aparelhos celulares (01 Samsung e 01 LG); 01 óculos escuro; 04 cartões do Bradesco; 02 cartões da Caixa; 01 cartão do Cred Amigo;01 CPF; 01 cartão do BCP; 01 cartão do SUS; 01 cartão da loja Ideal; 05 RG’s; 01 cédula de RG em branco; 01 título de eleitor; Documentos referentes aos empréstimos bancários.

FOTO: 19º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR DE PEDREIRAS – MA

As duas conduzidas, Maria Conceição Sabino e Ivonete Pereira dos Santos, mãe e filha, foram entregues na DRPC de Pedreiras para as medidas cabíveis sem lesões corporais.

Participaram da prisão das suspeitas, que são natural da cidade de Codó, o Sargento Santos, Soldado Fábio e o Soldado Bruno. (Fonte: Blog do Sandro Vagner).

A Polícia civil do Pará identificou três envolvidos nesta quarta-feira (08), uma associação criminosa responsável por sequestrar e manter como reféns familiares do gerente de uma agência bancária, em Dom Eliseu, nordeste paraense. Durante investigação, policiais civis do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) da região do Caeté, sediado em Capanema, encontraram o local usado como cativeiro para onde foram levados reféns os familiares do bancário. O cativeiro estava localizado, às margens da rodovia que liga Dom Eliseu à Rondon do Pará, em um local deserto.

Após a ação policial, foram apresentadas às vítimas as fotos de criminosos conhecidos na região. Foram reconhecidos como autores do crime os maranhenses Maurício Sousa Oliveira, natural de Açailândia (Maranhão), e Thalisson Silva dos Santos, natural de Açailândia (Maranhão) e o paraense Lucas de Souza Farias, conhecido por “Lucas Metralha”, natural de Tucuruí. Foram também realizadas investigações em locais apontados como possíveis endereços dos criminosos. As investigações apontam possível envolvimento de aproximadamente 5 a 8 pessoas.

A operação foi comandada pela equipe policial de Dom Eliseu com a parceria do NAI de Capanema. Segundo os policiais civis, durante a ação criminosa, os sequestradores invadiram a residência do gerente e depois levaram como reféns a esposa e dois filhos do bancário. Outra parte da associação criminosa passou a manter contato telefônico com o gerente, para exigir dele o saque de 1 milhão de reais dos cofres do banco, como condição para liberação os reféns.

A equipe policial local tomou conhecimento do crime e foi até o banco, onde encontraram o gerente. O bancário foi orientado a não realizar o saque, enquanto isso, os policiais civis iniciaram investigações. Ao chegar ao local do cativeiro, os policiais civis encontraram apenas as vítimas. Os criminosos haviam deixado o local. Segundo as vítimas, apenas um dos sequestradores estava no local mantendo as vítimas como reféns.

Ainda não foi possível levantar a identidade do criminoso. Durante a ação criminosa, foram utilizados três veículos – um carro Celta cor branca, uma motocicleta Honda Titan, cor vermelha e um Renault Sandero cor preta, de placa GGY 2854 /Salvador-Bahia. O ultimo carro foi abandonado no centro da cidade, por volta das 10 horas. Os criminosos levaram apenas um aparelho celular das vítimas. Quem souber do paradeiro dos foragidos, pode ligar para o fone 181, o Disque Denúncia. (Fonte: PC/PA).

1 2 3 4 5 6 313